domingo, 3 de maio de 2009

Poema da Babi...

Desfiz as tranças crespas de meu cabelo e desalinhei.
Resolvi por desobedecer todas as linhas do rosto.
Sujei a face, borrei todos os lábios de um batom também esfacelado.
Enlouqueci ali. Afundei em surto imundo.
Cortei, arranquei as partes do meu corpo.
Até desabar aquelas idéias mortas,
penduradas em cada fio da minha pele,
e encontrar uma imensidade de belezas
insuperáveis ali,
bem ali... naquela entranha de mim.

(nega Babi).

Um comentário:

Simone. disse...

"fio da pele"

ê gente bonita viu!